domingo, 5 de junho de 2011

Formigas rainha fundando uma nova colônia - Queen ants founding a new colony

Encontrei um blog em inglês muito bom, com o tempo vou traduzir alguns posts para vocês.

(Clique nas imagens para ampliar)

Camponotus foundress queen tending eggs.
Uma formiga carpinteira rainha (Camponotus) sobre o seu montinho de ovos, com sua asa caida no chão do tubo.
Enquanto grande variedade de espécies de formigas desenvolveram vários métodos para fundar novas colônias, algumas estratégias são comuns dentre elas. Depois de uma revoada, que os machos e fêmes férteis acasalam, uma futura rainha encara a dificuldade de fundar sua colônia. Ela é especializada em botar, e não consegue picar nem espirrar veneno. Ela só tem suas mandíbulas para se defender, e tem um corpo grande e desajeitado. A mortalidade é alta – razão pela qual as formigas saem em grandes quantidades para as revoadas. Quando cai no chão a rainha procura incessantemente  por um local para sua colônia, cortando ou arrancando sua agora inútil asa para que possa cavar sua toca ou explorar pequenas fendas mais facilmente. A energia dos músculos das asas atrofiando serão usados para ajudá-la a alimentar a sí e às crias em desenvolvimento. 
A disturbed camponotus queen guards her clutch of eggs.
Uma rainha de formiga carpinteira protegendo seus ovos depois de perturbada.
A menos que ela consiga entrar em um ninho já existente (algumas espécies de formigas como as lava pés podem aceitar rainhas adicionais em colônias já estabelecidas) ou co-fundar com um pequeno grupo de outras rainhas (onde as rainhas adicionais podem lutar ou serem executadas pelas operárias), ela terá de ficar sozinha até botar seus ovos e cuidar deles nas fases de larva, pupa e nas primeiras pequenas operárias adultas. Em algumas espécies as rainhas correm risco e saem para procurar comida, mas muitas espécies se trancam em pequenas câmaras até que as primeiras operárias eclodam, contando completamente com os nutrientes armazenados em seus próprios corpos.
Queen fire ant (Solenopsis invicta) burrowed into cotton with her first brood.
Uma rainha de lava pé (Solenopsis invicta) com suas crias.
Durante esse tempo as rainhas cuidam de suas preciosas crias, alimentando-as via secreções salivárias ou regurgitação e cuida para evitar crescimento de fungos. As rainhas de lava pé botam ovos tróficos, que elas comem e então regurgitam para as larvas.
Fire ant queen (Solenopsis invicta) tending brood.
A rainha de lava pé em um tubo sobre as suas primeiras larvas e pupas.
As primeiras operárias se tornam pupas prematuramente, e eclodem normalmente como pequenas operárias adultas, chamadas minims ou nanites. As pálidas e prematuras operárias escurecem lentamente e ganham mobilidade quando seus exoesqueletos endurecem. Guiadas por fome e instinto, essas pequenas operárias abrem uma saída do ninho e se aventuram cuidadosamente às primeiras expedições por comida da colônia. (Outras táticas podem acontecer – as nanites de lava pé roubam crias, onde elas roubam as larvas em desenvolvimento e pupas de colônias próximas para fortalecer suas próprias colônias.)  As próximas operárias, cuidadas pelas nanites, são melhor alimentadas. Elas se desenvolvem normalmente e são as operárias de vários tamanhos, divididas em castas.
Queen fire ant (Solenopsis invicta) with brood and minims.
Uma rainha de lava pé (Solenopsis invicta) cuidando da cria com a ajuda das recém eclodidas operárias nanites.
Enquanto a população aumenta, a função de cuidar da cria deixa de ser da rainha, que começa a ter como tarefa apenas botar, enquanto estiver viva. Ao invez de ter de defender à si e à cria, ela agora conta com um exército de filhas que defendem o ninho, e elas recuam em caso de perigo ou perturbação ao ninho.
A crematogaster queen with brood pile, nurses, and newly eclosed workers.
Uma rainha de formiga acrobata (Crematogaster) em um formigário com a pilha de ovos, larvas e pupas, enfermeiras e operárias recém eclodidas.
Essas fotos são, na maioria, rainhas que eu capturei procurando em locais que há ninhos e coloquei em tubos de ensaio. É divertido criar colônias de formigas, e ridiculamente fácil de encontrar (que outro animal de estimação você pode fechar em um tubo de ensaio e ignorar por um mês?). Por conta da minha pesquisa eu coletei colônias de lava pé, e essas são rainhas encontradas na região do Texas. Claramente não é a melhor espécie para formiga de estimação, mas em um local seguro elas são legais de se observar. Elas constroem formigueiros firmes e se desenvolvem rápido.


Fonte: http://6legs2many.wordpress.com/2011/04/15/queen-ants-founding-a-new-colony/



Gostou ? Comente! Odiou? Comente!
Essa é a melhor forma de fazer com que eu me anime para sempre postar mais coisas legais.

8 comentários:

Felipe disse...

Muito Legal,aqui em casa tem lava pé vou tentar uma rainha dessas ,parabens pelo Post.:D

Ailton Gomes disse...

Muito linda essa rainha.

Mateus Victor disse...

Oi bruno! Olha o Mundo Atta tem novas postagens e eu vou postar as fotos ga dorymyrmex hoje á noite ou amanhã olha lá e comenta.

Parabéns pela postagem e belas rainhas

Mateus Victor disse...

não consegui por as fotos. mas depois o meu primo envia pra mim por e-mail. Bruno de que as dorymyrmex bicolor se alimentam???

Anônimo disse...

CARA MUITO LEGAL

Anônimo disse...

Muito bom!
Estou me formando em Biologia e essas informações são de alta relevância para noções de coevolução fauna-flora e a saúde dos ecossistemas! Tenho procurado solução para evitar que ruralistas usem veneno como combate âs formigas, mas que saibam usá-las a seu favor!

Caso conheça alguém que saiba a esse respeito ou algum artigo que ache pertinente, não deixe de me avisar!

Fausto Dias
fausto_puc@hotmail.com
facebook: fausto dias (farstito)

Abraços!!

Sthefan disse...

Preciso de uma ajuda.

Capturei minha primeira rainha, estou fazendo vários planos de Formigario, mas tenho uma dúvida quanto na alimentação, será que funciona dar aqueles camarões secos vendidos como alimento de tartaruga? Como conseguir alimentação adequada morando em cidade pequena? Agradeço toda a ajuda que conseguir nessa questão e em que que dica.

Bruno A. dos Santos disse...

Elas não costumam comem esses camarões. Raramente comem comida de peixe. O melhor é dar mel com água e algum inseto as vezes. Tome cuidado com insetos selvagens, pois eles podem trazer doenças para a sua colônia. Compre uns vermes no mercado livre, elas adoram. Eles se chamam Tenébrio Molitor.